Imagem capa - Os 3 tipos de nascimento que eu já fotografei por Erika Pugliese
Fotografia

Os 3 tipos de nascimento que eu já fotografei

Hoje pela manhã, minha amiga Kessy  me perguntou sobre os nascimentos que eu já fotografei.

Bom... eu não sou a maior fazedora de partos do mundo fotográfico, embora eu ame. O que vou contar agora é como funciona este tipo de fotografia do ponto de vista única e exclusivamente meu.

Eu já presenciei 3 tipos de partos diferentes e vou contar pra vocês como foi cada um.

Em todas as situações, eu fiquei extremamente nervosa e ansiosa. Afinal de contas, embora tenha feito todos a meu convite, a responsabilidade é imensa.

Primeiro: Cesárea - Fotografei em duas situações, uma dentro da sala de cirurgia e outra fora. 

O que tive de fotografar do lado de fora foi bem legal, pois pude contar a história do ponto de vista da gatinha recém-promovida a mais irmã mais velha e da família que esperava ansiosamente o nascimento do Mateus.



    Rafa espera ansiosa (e desconfiada) a chegada do irmãozinho Mateus.

Recentemente fotografei uma cesárea dentro da sala de cirurgia. Aí, lá dentro do fervo é que são elas. Este nascimento foi no Albert Einstein, que exige (ou exigia) apenas a taxa para fotografar, que segundo eles é pela roupa que é utilizada na sala de cirurgia, e a autorização do obstetra. Minha maior preocupação era me posicionar de modo que não atrapalhasse a equipe médica, então procurei me movimentar o mínimo possível. A luz que é totalmente direcionada no lugar da cirurgia e é muito, muito forte, então o grande desafio é fotometrar sem perder informação tanto nos pais (aonde tem pouca luz), quanto no bebê nascendo (luz pra mais de metro). Sinceramente, foi difícil pra caramba, mas não tem como ficar ruim, né? 

A emoção é gigante ao ver uma vida vindo ao mundo e sendo quem era, fiquei ainda mais emocionada. O André era o mais novo membro da minha família, filho da minha prima Juliana.


Segundo: Parto Normal

Também fotografei dois. Ambos no Einstein. O legal do parto normal é a emoção de não saber a hora que vai acontecer. Em uma das situações tive de sair correndo de um compromisso pra poder ir pro hospital. Fiquei lá o dia todo registrando o pré-parto até o bebê chegar com o pai naquela sala de observação.


Heleninha bochechuda desde que nasceu. 

Demorou, mas a Helena veio linda e gorducha. Vc vai encontrar esta belezinha por todo o meu site e é fácil identificá-la. Os olhinhos mais claros e brilhantes que vc vai encontrar, dona de bochechas altamente mordíveis.

Uma das minhas mamães estava tão tranquila que chegava assustar. Ela sentia dor, mas fazia piada e ria. Juro. Dá uma olhada aqui. Foi muito leve passar o tempo com ela. Que saudade, falado nisto! O Leo lindo veio como um leãozinho bem rapidinho. Que sorte!


Tati e Leo, um amor profundo invadiu meu peito assim que eu o vi. Este foi minha primeira experiência com fotografia de nascimento.

Terceiro: Parto Natural Humanizado

Ah! Gente. Sem palavras pra este nascimento. Foi a experiência mais transcendental da minha vida. Meu irmão me ligou de madrugada e eu saí correndo pra Casa Ângela, que fica beeem longe da minha casa. No caminho eu fazia minhas orações para que  a Malu não nascesse antes de eu chegar, pra que estivesse tudo bem com a minha cunhada, pra não dar nada errado.

Para quem não conhece, a Casa Ângela é uma casa de parto humanizado que atende pelo SUS. Existe uma série de critérios médicos para que a gestante possa realizar o parto lá. O que eu encontrei quando cheguei foi um ambiente extremamente seguro e acolhedor. Dava paz estar ali. As enfermeiras são espetaculares, respeitosas e educadas. Sinto muito sair desta vida sem ter sabido desta possibilidade quando eu tive minha pequena Julia.

Enfim, o parto: Minha cunhada ficou horas e horas em trabalho de parto e nem lembro mais quanto tempo fiquei lá. Só sei que fiquei com eles lá o tempo todo. As enfermeiras calmas, os tratavam com todo o carinho. Sem nenhuma picadinha de remédio na minha cunhada guerreira, minha sobrinha nasceu linda e maravilhosa e foi chorar a primeira vez, só as 17h. Ela nasceu entre 9 e 10h da manhã, não me lembro ao certo.


A experiência mais incrível da minha vida fotográfica. Parto humanizado na Casa Ângela


Minha análise e minha opinião sobre este tipo de fotografia como negócio:

Se vc não trabalha com uma equipe que fica à disposição para fotografar nascimento, faça só a seu convite e apenas como experiência, pois se não puder ir e deixar isto claro, não terá um problema.

Para precificar este tipo de trabalho, vc deve levar em conta que, mesmo para os partos agendados, ele pode ocorrer a qualquer hora, ou seja, vc precisará estar à disposição. Imagina você fazendo a cobertura de um aniversário infantil ou fotografando um newborn e um bebê seu está chegando ao mundo. O que vc faz? Importante ter um (ou vários) backup.

Vc precisa levar em conta que, talvez, terá de sair de madrugada para fotografar e seu equipamento precisará estar sempre sempre sempre pronto.

Vc não poderá falhar em hipótese nenhuma, pois assim como um casamento, este é um dos eventos mais importantes da vida de uma pessoa e sim! o risco deste erro ou qualquer outro problema deve ser calculado e incluído no valor do seu trabalho, considerando inclusive a contratação de um fotógrafo de última hora.

Com relação ao equipamento, fotografo com a Mark III, uma 24-70 - 2.8 (pra me dar mobilidade sem ter de me movimentar muito) e SEM flash para não atrapalhar a equipe médica.

Mais uma vez, esta é a minha experiência com fotografia de nascimento. Não vi em livros ou cursos, foi apenas intuição e como eu gostaria que a minha fotógrafa se portasse durante o meu parto.

Bjo bjo, até a próxima.