Imagem capa - Crianças e Animais - Riscos ou Benefícios por Erika Pugliese
CuidadosCriançaBebê

Crianças e Animais - Riscos ou Benefícios

Oi beninas, turu bom?

Recentemente recebi no meu whats uma foto de um bebê todo machucado e um vídeo em que este bebê estava brincando com um cachorro enorme que eu não tive coragem de ver.

Bom, sei que existe uma legião que defende que os animais são inofensivos e que podem tranquilamente conviver com bebês e crianças, por isto fui pesquisar sobre isto.

O Portal G1 publicou uma matéria no ano passado sobre os benefícios desta convivência.

Um dos benefícios é que segundo pesquisadores a convivência com os animais, ajuda no desenvolvimento social dos pequenos.

A psicóloga Marina Junqueira Zampieri ressalta que a criança tem de aprender a lidar com um ser que precisa de cuidados, fica doente, tem personalidade própria e pode nem sempre estar com vontade de brincar nos mesmos momentos em que ela quer.

Além dos benefícios no desenvolvimento social infantil, ter um animal de estimação pode significar melhoria na saúde das crianças. A psicóloga Mara Lúcia diz que a companhia de um animal reduz as chances dos pequenos desenvolverem resfriados, problemas estomacais e até dores de cabeça.

“Isso acontece porque os níveis de imunoglobulina A, um anticorpo presente nas mucosas que evita a proliferação viral ou bacteriana, aumentam quando em contato com os animais e fortalecem o sistema imunológico”.

Parte da rotina

A médica veterinária Ana Carolina do Carmo Gasques já tinha três cachorros e um gato em casa quando engravidou do filho Victor Hugo, de 3 anos.

Ela conta que durante a gestação deixava que os animais entrassem no quarto, cheirassem os móveis e o carrinho do bebê e ficassem sempre por perto para se acostumarem quando o bebê finalmente chegasse.

“Assim como o filho mais velho tem ciúme quando o bebê nasce, o animal de estimação também terá. O pet vai ter que dividir sua casa, seus pais e suas coisas com outro que está chegando e, por isso, os pais têm de fazer com que o animal veja a criança que chegará como parte da rotina e da casa, sem tirar seu espaço para evitar competições. Foi o que fiz quando tive meu filho Victor Hugo”, comenta a veterinária.

É uma estratégia ótima e muito recomendada. Uma das minhas gravidinhas deixava até a Gatinha dela entrar dentro do berço pra mostrar pra ela que ela não perderia espaço quando o Caio chegasse. Hoje eles convivem super bem e enchem a casa de alegria.

Outra história interessante é da Mi, que também fez o ensaio gestante e newborn comigo. Ah! No ensaio newborn eu tomei uma mordida. Imagina se ela pega o bebê? Deus que me livre! Ainda bem que não arriscamos. Veja o depoimento dela:

"Minha super fofa lhasa de lacinho é bem geniosa e brava. Não é agressiva o tempo todo mas tem alguns gatilhos que - sim! - fazem ela avançar. Quando fiquei grávida já previa problemas mas jamais pensei em doar a Paçoca que afinal também faz parte da família. Quando o bebê começou a se locomover as preocupações aumentaram e me estressei muito porque por mais que conseguisse ficar atenta 99% do tempo, era nesse 1% que estaria o acidente. Perdi a cabeça porque passar o dia todo em alerta era insuportável. Aí criamos algumas ferramentas pra ajudar, uma delas foi mudar o método de adestramento pra algo mais leve. Não pra fazer ela parar de morder, mas pra aumentar a tolerância dela. O Edu participa de quase todas as aulas com adestrador. Iniciamos ela na creche 2x/semana o que ajudou muuuuito! E aqui em casa mudamos um pouco a rotina. Quando estamos de olho deixamos os 2 interagir, mas se não estamos 100% atentos por qualquer motivo, a paçoca fica presa na cozinha. No portão que separa a sala da cozinha colocamos grade pra o Edu não conseguir encostar nela (grande problema é quando ela dorme, alguém encosta, ela assusta e acorda mordendo)."

Paçoca, eu te entendo. Quando me acordam assustando eu tbm mordo! #tamojunta

Olha aí a Paçoca e o Dudu, separados pelo Muro de Berlin.


Independentemente da sua opinião e formação, é importante tomar cuidado com os pequenos pq por mais dócil que seja seu pet, ele pode estranhar ou acordar de mau humor qualquer dia. Tenha amor por seus bichinhos, mas também cuide do seu bebê. É só a minha opinião.


Foto da capa: https://br.freepik.com/fotos-vetores-gratis/pessoas

Foto do Dudu e da Paçoca: Arquivo pessoal da Mi